BannerDistrito Federal

TEM GENTE DE OLHO NOS “NEGÓCIOS DOS ALUGUÉIS”

A quais interesses servem a volta ao trabalho presencial de servidores do GDF e do Governo Federal ?

Mesmo com o aumento de casos de infecção pela variante Delta no DF, o governador Ibaneis Rocha não parece querer voltar atrás com o decreto que determina a volta do trabalho presencial dos cerca de 178 mil servidores, estagiários e terceirizados que estavam a trabalhar em home office.

A variante Delta é bem mais transmissível e pode trazer de volta o aumento de casos e consequentemente a superlotação dos hospitais, mas Ibaneis prefere ceder às pressões do setor produtivo a proteger a população, os servidores e a saúde pública.

É claro que a volta à normalidade interessa muito à indústria, aos serviços e ao comércio. Com as atividades presenciais no serviço público, o setor projeta um crescimento de aproximadamente 40% nas vendas até o fim do ano.

Mas com certeza não é só a economia que tem expectativas positivas com a decisão de Ibaneis. A quem mais interessa a volta em massa ao trabalho presencial dos servidores do GDF?
Ao serviço público? Aos servidores públicos? Ou ao segmento imobiliário especializado em alugar prédio para o setor público? Este setor tem “tubarões” conhecidos publicamente.
O teletrabalho trouxe uma experiência em várias áreas que deveria ser considerada dentro de uma estratégia híbrida de retorno ao trabalho presencial.
Talvez o maior interessado seja Ibaneis Rocha, cujo governo aluga vários prédios para abrigar alguns órgãos a preços no mínimo suspeitos. Não será nenhuma surpresa que esses aluguéis venham a se revelar como fontes de arrecadação para a campanha de reeleição do governador no ano que vem.
No Governo Federal não é diferente, órgãos que estavam prestes a renegociar e entregar prédios alugados foram pressionados a voltar atrás.
Alem de tudo, há uma irresponsabilidade do governo ao não baixar nenhuma regulamentação sobre a volta dos servidores ao trabalho presencial, sem qualquer checagem de vacinação nem na primeira e nem na segunda dose.

Artigos relacionados

Verifique também
Fechar
Botão Voltar ao topo